terça-feira, março 24, 2015

Da natureza

Duas crianças de quase sete anos juntas um dia e meio fazem com que o ar se encha de: mamas, pila, rabo gordo, cocó, xixi. Ergui um dedo ameaçador e avisei: já ouvi essas palavras muitas vezes, já sei que existem, agora estão proibidos de estar sempre a dizer essas palavras, arranjem outro assunto. Pouco depois, os dois à janela. "Olha aquela, tem mamas gordas". E eu, outra vez à carga, que se acabou a conversa de mamas. Mais um bocado e entraram as vacas no diálogo. "As vacas têm umas mamas mesmo gordas".

Catraios de um raio. "O que foi, mãe? As vacas têm mamas, como toda a gente tem mamas, e as vacas são animais da natureza. Não se pode falar da natureza?". É facto. Aos quase sete anos, provando ser certa a máxima do filósofo Sócrates, defensor de que a lógica vem de origem dentro de todos nós, basta que puxemos por ela, a minha filha cita Leonardo Da Vinci sem saber.


1 comentário:

gralha disse...

Ainda não me cansei dessas conversas. Deve ter sido de a minha mãe não me deixar tê-las, em miúda. Agora sou cúmplice dos meus rapazinhos.